Pages

.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Como Cuidar de um Gatinho Recém Nacio

Não existem substitutos para as mães e, preferencialmente, filhotes de gatos devem permanecer aos cuidados de suas mães por pelo menos 8 semanas antes de serem levados para outros lares. Em casos de resgate, morte da mãe natural ou casos em que determinadas circunstâncias façam com que a mãe rejeite o filhote, a intervenção humana será necessária.
Existem muitas coisas a considerar, bem como materiais necessários para alimentar e cuidar de um gato recém-nascido. Alguns cuidados e considerações podem fazer desta experiência algo proveitoso e relaxante, o que acabará resultando em um animal saudável e feliz.

Passos


Consulte veterinários locais ou abrigos a fim de descobrir se existe alguma gata que possa assumir o papel de mãe deste filhote. O leite materno é o melhor alimento para qualquer que seja o mamífero filhote, portanto sempre é recomendado buscar uma maneira natural de o fazer antes de experimentar preparar algo para alimentar o filhote.
Esteja ciente de que, mesmo encontrando uma gata para assumir o papel de mãe no caso deste filhote, ela poderá não aceitar. 
Lembre-se que quanto mais novo for o filhote, mais acelerado será seu metabolismo e mais vezes ele precisará ser alimentado devido ao fato de seu estômago ser

minúsculo. Isto significa que você precisará ficar o dia todo por perto até que o filhote possa crescer e consiga ingerir alimentos por conta própria, inclusive sólidos. Um gato com idade entre 6 e 10 semanas precisa ser alimentado entre 6 e 8 vezes por dia, enquanto um filhote entre 10 semanas e 6 ou 7 meses necessita apenas de 4 refeições por dia. Após isto, e até aos 9 meses, ele passa a precisar de apenas 3 refeições por dia. Quando ficar adulto, 2 refeições ao dia bastarão.
Compre algum substituto específico ao leite materno para o gato, bem como alguns itens como seringas e garrafas. Para gatos mais novos, um substituto específico para o leite materno é fundamental durante as primeiras semanas de vida. Certifique-se de perguntar numa petshop por algum produto que possa suprir esta necessidade ou a um veterinário.


Se você desejar criar sua própria fórmula, siga a sugestão a seguir.


Esterilize as seringas e esquente um pouco o leite de forma a que ele fique levemente morno, seguindo as instruções da embalagem. Em seguida, ponha algumas gotas em seu pulso para certificar-se de que não esteja muito quente. Este é o mesmo procedimento utilizado com bebés humanos.
Não coloque esta mistura no microondas, pois acabará gerando bolhas na mistura. Ao invés disso, coloque em um recipiente e este, por sua vez, dentro de uma panela ou outro recipiente com água quente.
Prepare a fórmula imediatamente antes de oferecer ao filhote para garantir a sua melhor qualidade. Não é

recomendado preparar a fórmula e mantê-la em algum local por um longo período (mesmo na geladeira) - apenas faça a quantidade que será utilizada e descarte as sobras.
Utilize uma quantidade adequada de alimentação de acordo com o peso do gato.
Gatos com 1 a 3 semanas podem digerir até 2 colheres de sopa cheias para cada 113 gramas de peso corporal a cada 2 ou 3 horas.
Ponha o leite no biberon e verifique se pode deixar sair apenas uma gota ou duas. Seringas costumam ser melhores para filhotes mais novos, com 4 semanas ou menos de vida, visto que as bocas de biberons podem ser muito grandes ou permitirem a saída do leite de forma muito rápida e excessiva.
Alimente o filhote. Faça isto sentando em uma cadeira com uma toalha dobrada em seu colo. Posicione o filhote de forma similar a que ele faria com sua mãe verdadeira, com sua cabeça levemente erguida e seu estômago descansando e apoiado.
Permita que o filhote se alimente até que ele mesmo decida que acabou, mas não permita exageros.
É importante permanecer paciente e calmo enquanto segura o biberon e alimenta o gatinho, certificando-se de que ele esteja-se a sentir à vontade. Além disso, permita que o gato estabeleça seu próprio ritmo e dê-lhe um certo tempo para a alimentação, de forma a que problemas de digestão sejam evitados.
Incentive e estimule o filhote a arrotar segurando-o de costas e segurando seu corpo enquanto você esfrega seu estômago com sua outra mão. Na relação de filhotes gatos e suas mães, a gata geralmente ajuda o filhote a arrotar ou mesmo defecar, portanto não se surpreenda com estes comportamentos - é um bom sinal!
Ponha o filhote de volta em sua cama quente ou caixa, de forma a que ele possa descansar. Continue com a agenda de alimentação regular todos os dias pelas semanas seguintes até que a ingestão de sólidos já seja possível e apropriada. Neste momento, converse com algum veterinário sobre alguma dieta adequada.
Adicione alguns alimentos sólidos suaves, como enlatados, e também alimentos mais rígidos quando o gatinho já estiver com 4 semanas ou mais de vida. Alguns filhotes podem não comer sólidos até completarem 8 semanas de vida; converse sobre este progresso com o veterinário.


Preparando sua fórmula para o filhote


Separe os seguintes ingredientes:


• 2 xícaras de leite integral, preferivelmente leite de cabra (leite de vaca poderá causar problemas, mas, às vezes, a necessidade pode ser maior que a intolerância à lactose, portanto discuta com seu veterinário sobre isto e confira as advertências acerca do leite de vaca).
• 2 gemas de ovos orgânicas ou 1 gema de ovo e 1 colher de chá de óleo de coco quente


• 2 colheres de sopa de proteína em pó
• 6 gotas de algum composto vitamínico para crianças ou mesmo específicas para gatos
• 1 colher de chá com líquido para a flora intestinal
Misture todos os ingredientes dentro de uma tigela e mexa-os bem com um garfo ou batedor. Aqueça a mistura a uma temperatura de banho (38,3º C), colocando esta tigela dentro de algum outro recipiente com água quente. Teste como descrito anteriormente e, em seguida, alimente o filhote da forma indicada também anteriormente. Um esquema recomendado para a alimentação:
Gatos de até 113 gramas: 1/2 colher de chá por refeição, a cada 2 horas
Entre 113 e 226 gramas: 2-4 colheres de chá por dia, a cada 3 horas
Entre 226 e 680 gramas: 6-10 colheres de chá por dia, a cada 4 horas

Sugestões


Tente pesar o(s) filhote(s) antes de iniciar o ciclo de alimentação de forma que você possa utilizar as quantidades e períodos adequados. Mantenha o controle do aumento ou perda de peso com o passar dos dias e consulte um veterinário caso ache que o gato está ganhando ou perdendo peso muito rapidamente.
Estimule a eliminação de resíduos por parte do gato colocando-o em uma caixa de areia e tocando sua região genital e anal com gaze, algodão ou uma toalha de papel com um pouco de água morna. Isto imita o comportamento natural da mãe do gato, que o estimula a fazer esta eliminação.

Avisos


• Tenha plena certeza de que o leite que será dado para 

algum filhote de gato não esteja quente. Ao dar leite quente para um filhote, você poderá queimar a boca do mesmo, bem como outras áreas sensíveis.
• Consulte um veterinário caso o gato não queira comer de forma alguma - pode ser sintoma de alguma doença.
• É melhor deixar os filhotes com as mães por pelo menos 6 semanas depois do nascimento, visto que elas saberão melhor como cuidar deles. Uma idade adequada para se retirar é entre 8 e 10 semanas. Os criadores recomendam esperar 12 semanas antes de procurar um novo lar para os filhotes. Além disso, podem existir problemas ao tornar um gato órfão - ele poderá tornar-se insociável, desenvolver problemas de saúde e seu desenvolvimento pode ser prejudicado.
• Certifique-se que o gato não esteja muito frio quando você o for alimentar; isto poderia lhe causar alguns problemas digestivos.
• Gatos que saem de perto das mães mais cedo brincam e mordem muito mais do que aqueles que convivem por mais tempo com suas mães. Isto parece ocorrer por não terem recebido o devido retorno materno durante suas brincadeiras enquanto cresciam. Eles também desenvolvem hábitos como, por exemplo, sugar botões e lóbulos das orelhas; sem um gato adulto para lhes mostrar como se portar ou como utilizar a caixa de areia, as coisas podem ser mais difíceis para estes gatos.
• Nunca alimente um gato com leite de vaca, já que muitos gatos são intolerantes a lactose e sofrem problemas gástricos quando alimentados com este tipo de leite diariamente.
• Uma vez que o gato tenha sido retirado de sua mãe e uma dieta tenha-se iniciado, não será mais possível que o mesmo volte a se alimentar através da mãe.
• Quando estiver a aprender como alimentar o filhote de gato com o biberon, tenha em mente que alimentar em excesso ou de forma inadequada poderá causar problemas de respiração para o filhote. Enquanto alimenta o gato, preste atenção à ele e certifique-se de que não está saindo leite através de suas narinas ou que seu estômago não esteja inchado.
• Procure utilizar diferentes garrafas e biberons para filhotes de ninhadas diferentes, pois algumas doenças podem ser passadas da mãe para os filhotes ou mesmo de um filhote para o outro, em caso de ninhadas maiores.

Materiais Necessários


• Seringas esterilizadas (tenha algumas, visto que, enquanto uma ainda está secando, você continuará tendo outras a disposição para o resto do dia); se os filhotes forem muito novos, seringas menores serão melhores. Seringas para orelhas de bebês podem ser bem úteis nestes casos
• Biberon ou uma pequena garrafa para bebês (esta última apenas em casos em que ela seja feita de materiais não-tóxicos, como sempre deverá o ser caso seja para uso de bebês)
• Leite para gatos filhotes ou algum substituto
• Pontas de borracha/silicone que sejam feitas de materiais não tóxicos e que sejam pequenas o suficiente para que o filhote consiga alimentar-se através delas
• Toalha.

2 comentários:

Comunidadeda Beleza disse...

Que lindos, tem que ter realmente muito cuidado com essas fofuras. Antigamente eu não gostava muito de gatos, até que o gato do meu namorado me conquistou, mas os gatos que não conheço ainda tenho um pouco de receio.

Bjokas
Leca
Equipe Comunidade da Beleza.

Menina Vaidosa disse...

Amo gatos, pena que não posso ter.
moda-hoje-em-dia.blogspot.com.br

Postar um comentário