Pages

.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

15 Exóticas Raças de Gatos

  Há mais de 200 milhões de gatos pelo o mundo. Só no Brasil, temos mais ou menos um décimo disso. É bem  possível que você não conheça todos os tipos. 
  Essa lista reúne 15 raças de gatos que a gente não vê por ai todo dia. Surpreenda-se com a variedade de gatos que existem mundo afora!

1. Sphynx 

A raça Sphynx é composta por gatos sem pelos, que  possuem uma beleza mais selvagem e ao mesmo tempo elegante.

Área de origem: Canadá
Cor: Todas as cores
Pelagem: Sem pelo e sem bigode
Nível de Barulho: pouco barulhento
Personalidade: Inteligente, curioso e amigável

2. Maine coon 

O gato da raça maine coon é conhecida como a maior entre todas as raças de gatos. Hoje é, segundo a CFA, a terceira raça mais popular em números de registros.

Área de Origem: Maine, EUA
Cor: Todas as Cores
Pelagem: Longa 
Nível de Barulho: Muito Barulhento 
Personalidade: Calmo e Gentil

3. Scottish Fold

Um felino bonito e um dos  mais amorosos de todos, o gato  da raça Scottish Fold é  conhecido por ter suas orelhas dobradas para frente e por ter o hábito de dormi de barriga pra cima.

Área de Origem: Escócia 
Cor: Todas as Cores
Pelagem: Longa ou curta 
Nível de Barulho: Tranquilos 
Personalidadebem-humorados, podem tranquilamente se adaptar a outros animais
4.  Khao Manee

Os olhos dessa raça são azuis, mas pode ser encontrado com um olho de cada cor, geralmente azul, verde ou âmbar. É uma raça considerada rara. 

Área de Origem: Tailândia
Cor: Branca
Pelagem: Curta
Nível de Barulho: Bastante Ativo
Personalidade: Brincalhão e Amigável 

5. Munchkin

Munchkin é uma raça de gato relativamente recente, que tem como característica mais marcante as patas curtas em relação à altura.

Área de Origem: EUA
Cor: Todas as cores
Pelagem: Curta ou longa
Nível de Barulho: Tranquilo
Personalidade: Dócil, Inteligente e Extrovertido 

6. Devon Rex

Devon Rex é uma raça de gato de pelo curto e sua aparência está longe de ser comum.A raça apresenta uma cabeça larga, orelhas bem grandes, meio arredondadas nas pontas, olhos grandes e nariz levemente arrebitado. 

Área de Origem: Inglaterra
Cor: Todas as cores
Pelagem: Bem curta
Nível de Barulho: Barulhento
Personalidade: Muito brincalhão e Inteligente

7. Manx

Conhecido como gato da ilha de Man possui a cauda curtíssima ou inexistente. Existe várias histórias de como essa raça surgiu, a história mais conhecida conta que, por volta do ano 1600 um navio que transportava gatos afundou na Irlanda, que fica próxima á ilha de Man. Estes gatos, por natureza, não possuíam cauda e estavam sendo transportados para eliminar os ratos da embarcação.

Área de Origem: ilha de Man
Cor: Todas as cores
Pelagem: Curta ou longa
Nível de Barulho: Bastante Ativo
Personalidade:  Inteligente, dócil, alegre, brincalhão, ativo e bom caçador

8.Toyger

A intenção em criar a raça Toyger era de ter um gato domestico com aparência do tigre.A raça foi criada com a intenção de se ter um gato ativo, de aparência única e adaptável para a vida urbana.

Área de Origem: Há vários criadores nos Estados Unidos, três criadores na Inglaterra, duas no Canadá, um na Austrália, trabalhando para desenvolver a raça.
Cor: As cores esperadas são como as dos tigres, um fundo alaranjado, de tom vivido, com marcas em tons escuros, de preto para marrom ou até mesmo tan
Pelagem: Curta 
Nível de Barulho: Bastante Ativo
Personalidadeativo, inteligente e atlético

9. Savannah 

Com sua pelagem malhada, leva o nome de Savannah. É uma raça bastante atlética. É resultado do cruzamento de um Serval com um gato doméstico.

Área de Origem: Provavelmente na Africa
Cor: Dourado, marrom ou prateado, com manchas.
Pelagem: Curta 
Nível de Barulho: Bastante Ativo
Personalidade: Dócil e inteligente.

10.  Abissínio

Em relação à aparência, não há como negar que eles são muito parecidos com os gatos mostrados em pinturas e esculturas do Antigo Egito e acreditava-se até que eram descendentes dos gatos cultuados pelos egípcios.

Área de Origem: Apesar de não haver consenso sobre sua origem, o mais provável é que a raça tenha surgido na Etiópia.
Cor: marrom avermelhado, puxando para o laranja
Pelagem: Curta 
Nível de Barulho: Muito Barulhento e bagunceiro
Personalidade: Inteligente, afetuoso, brincalhão, ágil e rápido.

 11. Gato-do-deserto

Gatos-do-deserto estes gatinhos estão quase ameaçados de extinção graças ao comércio de animais e à caça ilegal.Apesar de se adaptarem muito bem a diferentes condições climáticas, podendo sobreviver a temperaturas entre -5°C e 52°C, pesquisas indicam que apenas 61% dos gatos da espécie vivem mais do que 30 dias – um dos principais motivos para isso é a alta rejeição materna entre os gatos do deserto. Mesmo assim, os que se mantém vivos podem passar meses sem água e ainda mantém essa carinha fofa de filhote para o resto da vida.

Área de Origem: Natural de regiões mais quentes como Norte de África, Arábia, Ásia Central e Paquistão
Cor: Bege puxando para o amarelo com poucas listras pretas.
Pelagem: Curta e mais alongada da área do pescoço e cabeça
Nível de Barulho: Bastante Ativo
Personalidade:Dócil, quando comparado a outros gatos selvagens, que tendem a ser ferozes

12. Norueguês da Floresta

Norwegian Forest, ou Norueguês da Floresta é um gato nativo da região norte da Europa. Atualmente, a raça de gato Norueguês da Floresta, é muito popular na Noruega, na Suécia e também na França. A maior população da raça encontra-se hoje em dia na Suíça.

Área de Origem: Noruega 
Cor: Todas as cores 
Pelagem: Longa 
Nível de Barulho: Bastante Ativo
Personalidade: Meigo, dócil e inteligente 

13.Minskin

Imagine um cruzamento de Munchkin com Sphynx - duas raças já citadas aqui. Foi exatamente assim que surgiu, o minskin é um gato pequeno, de pernas curtas e com pouco pelo.

Área de Origem: EUA
Cor: Todas as cores 
Pelagem: curta/sem
Nível de Barulho: Ativo
Personalidade:Carinhoso e inteligente 

 14.Levkoy Ucraniano

o Levkoy Ucrâniano é uma exótica raça de gatos originária da Ucrânia que possui um aspecto bem particular, a ausência de pelos e as orelhas dobradas. São gatos de tamanho médio de corpo alongado e esguio.

Área de Origem: Ucrânia
Cor: Todas as cores 
Pelagem: curta/sem
Nível de Barulho: Pouco Ativo
Personalidade: Meigo, dócil e inteligente 

15.Curl Americano

A origem do gato American Curl surgiu nos Estado Unidos, em 1982, quando a família Ruga adotou uma gata preta de pelagem semilonga, chamada de Shulamith. Essa gata tinha uma curiosidade: suas orelhas eram docemente enroladas para trás ou curl em inglês, característica que deu origem ao nome American Curl (Americano Enrolado).

Área de Origem: EUA
Cor: Todas as cores 
Pelagem: longa
Nível de Barulho: Muito Ativo
Personalidade: Mito carinhoso

domingo, 22 de novembro de 2015

Gato


 O gato, também conhecido como gato doméstico, é muito popular como animal de estimação. Ocupando o topo da cadeia alimentar, é um predador natural de diversos animais, como roedores, pássaros,lagartixas e alguns insetos.
Existem cerca de 250 raças de gato-doméstico, cujo peso variável classifica a espécie como animal doméstico de pequeno a médio porte. Assim como cães com estas dimensões, vive entre quinze e vinte anos. De personalidade independente, tornou-se um animal de companhia em diversos lares ao redor do mundo, para pessoas dos mais variados estilos de vida. 
 Os gatos domésticos atuais são uma adaptação evolutiva dos gatos selvagens. Cruzamentos entre diferentes espécimes os tornaram menores e menos agressivos aos humanos. Os gatos foram domesticados primeiramente no Oriente Médio nas primeiras vilas agriculturais do Crescente Fértil. Os sinais mais antigos de associação entre homens e gatos datam de 9 500 anos atrás e foram encontrados na ilha de Chipre.
 Atualmente, os gatos são animais bastante populares, servindo ao homem como um bom animal de companhia, e ainda continuam sendo utilizados por agricultores e navegadores de diversos países como um meio barato de se controlar a população de determinados roedores. Devido ao fato de sua domesticação ser relativamente recente, quando necessário convertem-se facilmente à vida selvagem, passando a viver em ambientes silvestres, onde formam pequenas colônias e caçam em conjunto.
 Os gatos, geralmente, pesam entre 2,5 e 7 kg; entretanto, alguns exemplares, como o Maine Coon, podem exceder os 12 kg. Já foram registrados exemplares com peso superior a 20 kg, devido ao excesso de alimentação.Os não-domesticados, abandonados e sem dono, ou gatos domesticados que se alimentem livremente, consomem entre 8 a 16 refeições por dia. Apesar disso, os animais adultos podem adaptar-se a apenas uma refeição por dia. Biologicamente, os gatos são classificados como animais carnívoros, tendo a sua fisiologia orientada para a eficiência no processamento de carne, com consequente ausência de processos eficientes para a digestão de vegetais.
 Os gatos apresentam uma grande variedade de cores e padrões. As raças podem ser divididas em três categorias: pelo longo, pelo curto e pelo ralo. A pelagem pode ainda ser dividida em lisa ou ondulada, existindo variações intermediárias. A cor dos olhos também podem estar relacionadas a certas raças.
Gato Persa
Os gatos persas, por exemplo, costumam apresentar íris com a mesma coloração dos pelos. A maior parte das raças foram desenvolvidas recentemente, de modo a ressaltar determinadas características desejadas e inibir outras indesejadas. Por exemplo, enquanto um gato bengal possui pernas alongadas, um Munchkin jamais deve apresentar tal característica. Ou ainda, enquanto que caudas longas e exuberantes são imprescindíveis para a beleza dos persas e himalaios, não fazem parte do padrão existente para a raça Bobtail. Diferentes raças tendem a apresentar graus distintos de suscetibilidade a certas doenças. Os gatos do padrão Keltic Shorthair normalmente são mais resistentes a problemas de saúde, uma vez que tais animais derivam de gatos de rua. Nesse caso, a seleção natural faz com que apenas os animais mais adaptados sobrevivam e consigam passar seus genes adiante. Estima-se que, atualmente, existam mais de 250 diferentes raças de gatos domésticos. Algumas delas surgiram naturalmente, a partir de cruzamentos entre gatos sem raça definida que portavam diferentes características. Outras foram desenvolvidas por meio de cruzamentos planejados por criadores, visando um aprimoramento genéticocom a intenção de ressaltar determinadas feições dos animais.


sábado, 14 de novembro de 2015

domingo, 11 de outubro de 2015

O outro lado dos Gatos


Em diversas culturas da Antiguidade, em especial nas culturas orientais, o gato era considerado um guardião das almas dos mortos, detentor dos mistérios da vida e da morte, um condutor que as levava até o outro lado.
Sob esta perspectiva, o gato era adorado como divindade, e reverenciado como animal de grande poder místico."O gato imortal existe, em algum mundo intermediário entre a vida e a morte, observando e esperando, passivo até o momento em que o espírito humano se torna livre. Então, e somente então, ele irá liderar a alma até seu repouso final."

Esta visão manteve-se até os dias de hoje. Na mente de muitas pessoas, o gato ainda é um animal misterioso, quase sagrado, de uma visão além do normal e uma percepção aguçada.
Diz-se mesmo que teria poderes paranormais, que saberia muito mais dos segredos da vida do que nós.
Qualquer pessoa que tenha tido a chance de conviver com um gato percebe facilmente que boa parte dessas características parece mesmo ser verdadeira.
Os gatos realmente parecem ter uma percepção extrasensorial, uma visão diferenciada, além do normal.
Quase sempre dão a impressão de pertencerem a uma esfera superior, a um nível mais elevado de consciência.

Há várias histórias de gatos que se destacaram por um poder de percepção extraordinário.
Eles pressentem quando há não vai bem.
Diz-se que gatos sempre fogem de uma cidade antes dela ser atingida por uma catástrofe. 
Na vida privada, nossos gatos parecem saber exatamente como nos sentimos, mesmo que não externemos nenhuma reação diferente.
Estão sempre por perto quando precisamos, mesmo sem serem chamados.
E compreendem perfeitamente o que dizemos.
Perceba como o gato o encara enquanto você fala com ele.
Olhe dentro dos seus olhos. Você verá neles a chama da inteligência.
Perceberá a compreensão latente em seu olhar profundo e penetrante.

Justamente por sua espiritualidade intrínseca, os gatos foram usados como forma de proteção contra energias negativas e como vetores de cura.
Os celtas diziam que os gatos, assim como demais animais domésticos, eram a reencarnação de parentes já falecidos, ancestrais que reeencarnavam nessas formas de vida para aconselhar. Nessa corrente de pensamento, o gato era considerado o animal mais apropriado, justamente por sua percepção aguçada.

As bruxas usavam os gatos por sua capacidade de catalisar e neutralizar sentimentos negativos, afastando forças nocivas e limpando o ambiente.
Seja como for, o fato é que o gato, assim como o restante dos animais, parece estar em um patamar muito mais elevado que o nosso.
Sua compreensão a respeito da vida é muito mais ampla e fundamental que a nossa.
Seu respeito ao ciclo natural é imensamente maior.
Sua espiritualidade e ligação direta com a energia criadora do universo é muito mais desenvolvida que a nossa.
Eles verdadeiramente conhecem a face de Deus.
Realmente vivem a vida como deve ser vivida.
São inigualavelmente superiores.

Animal enigmático, considerado sagrado ou maldito por diferentes civilizações ou em diferentes épocas, a fascinação que produz a sua contemplação tem algo de esotérico e misterioso. Este pequeno representante da família dos felídeos, esteve unido à história do homem com um carisma totalmente diferente ao do cão. Ao contrário deste, o gato não perdeu a sua identidade de animal semi-selvagem, a sua independência e o seu absoluto desprezo a tudo o que não satisfaça o seu instinto. 

O que o seu gato quer avisar?

Através de vários comportamentos, os gatos costumam constantemente nos avisarem de alguma coisa que está acontecendo ou irá acontecer. E, como são muitos, seria praticamente impossível esgotarmos eles em apenas um texto. Porém, podemos aqui lembrarmos dos quatro principais e mais frequentes:
Quando abriga as quatro patas embaixo do corpo ao se deitar – existe a iminência de uma tempestade;
Se o gato está agressivo – não é normal gatos serem agressivos. Se isso acontecer, pode ser que o seu ambiente esteja tão carregado de más energias que ele não consiga dar conta;
Quando lava as patas e o rosto – uma visita deverá chegar em breve;
Se o gato sobe em seu colo e começa a “amassar” suas pernas – esse é um comportamento originado desde a época em que o bichano mamava, por isso, ele está tranquilo, logo o ambiente se encontra com boas energias;

sábado, 9 de maio de 2015

Cuidados na Alimentação do seu Gato

Há alguns anos atrás, quando a comida seca para gatos ainda era pouco divulgada e conhecida davam-se restos da nossa comida ou cozinhava-se algo para dar aos nossos bichanos. Com o passar dos anos, os conselhos dados pelos médicos veterinários, a divulgação de novas comidas elaboradas especialmente para estes animais e a informação que passou a estar disponível a todos os donos levou a que hoje saibamos o que dar de comer a estes belos animais que nos fazem companhia. Porém, ainda hoje se cozinha ou se dão bocados da comida dos humanos aos gatos só que nem toda a gente sabe dos perigos que alguma comida pode representar se dada, seja em muita ou pouca quantidade.
Este artigo pretende apenas alertar para os perigos de alguns alimentos, que são perfeitamente saudáveis para os humanos, e que poderão constituir um perigo para o seu gato se os incluir na sua dieta.
A seguir indicamos alguns desses alimentos que deverão ser evitados na alimentação dos gatos:
foto de divulgação

LEITE DE VACA

Ainda que os gatinhos dependam do leite materno durante as suas primeiras semanas de vida, quando alcançam a idade adulta tornam-se menos tolerantes á lactose (açúcar presente no leite) pois carecem da enzima necessária para a digerir. Para estes gatos adultos, que bebem grandes quantidades de leite, muitas vezes o resultado é uma diarreia causada pela digestão inadequada e ao aumento bacterial no tracto digestivo inferior. Se pretender dar leite ao seu gato, faça-o comprando-lhe leite apropriado para gatos, pois já lhe foi retirada a lactose. Actualmente existem vários leites indicados para o consumo destes animais, por isso evite de lhes dar o leite de vaca comum.

CEBOLA

Há informações recentes que quantidades significativas de cebola (utilizada erradamente na preparação de comida caseira) causam anemia aos gatos. A cebola oxida a hemoglobina (o componente vital nos glóbulos vermelhos do sangue que levam oxigénio aos tecidos do corpo) resultando na incapacidade de os glóbulos vermelhos transportarem o oxigénio e programando-os para a destruição.

FÍGADO

Um dono que dê ao seu gato quantidades demasiadas de fígado poderá arranjar-lhe sérios problemas de saúde. Os gatos podem adquirir hipervitaminosis A (demasiada vitamina A ), que poderá tornar-se um problema muito sério ou até mortal. O fígado encontra-se incluído nas comidas comerciais para gatos, porém as suas quantidades são reguladas e estão controladas, não sendo, deste modo, maléficas.

CHOCOLATE

Apenas umas mordidelas num chocolate poderá ser perigoso para o seu gato. O sistema digestivo do gato não consegue tolerar o chocolate, incluivé aos gatos que apreciam o seu sabor. O chocolate pode causar problemas estomacais, diarreia e até a morte, dependendo da quantidade ingerida.

CARNE, PEIXE E OVOS CRUS

Ainda que alguns gatos gostem de carne crua, peixe ou ovos, nenhum destes alimentos constituem por si próprios uma dieta equilibrada e são potencialmente perigosos quando ingeridos crus.

foto de divulgação



A carne crua pode conter parasitas e bactérias perigosas. Ao preparar comida caseira para o seu gato, deverá sempre cozinhar a carne que lhe der, de modo a evitar que o animal se exponha à Toxoplasmose, a qual não está unicamente presente nas fezes de alguns animais mas também na carne crua.
Um gato alimentado unicamente com peixe pode mostrar deficiência de vitaminas B1 e E, enquanto uma dieta unicamente com carne magra produz deficiências vitamínicas e de cálcio. A variedade é o princípio chave na hora de alimentar o teu gato
O peixe enlatado como por exemplo o atum ou as sardinhas não é saudável para os gatos, excepto em quantidades pequenas como no caso de uma recompensa ocasional. Esses enlatados conservados em óleo são ricos em polisaturados, os quais são difíceis de serem metabolizados pelos gatos. Porém não tem de se preocupar com os ingredientes do peixe contidos nas comidas comerciais próprias para gatos, pois é incluída vitamina E suficiente para compensar os problemas de deficiência que poderiam resultar da comida enlatada para humanos.
Os ovos crus, quando dados frequentemente, podem causar uma deficiência de uma vitamina essencial chamada “biotina”. Algumas espécies de peixe crus – especialmente a carpa e o arenque – contêm tiaminasa, que é uma enzima que destrói a vitamina B1, a qual é eliminada na cozedura.

PIMENTA E ESPECIARIAS

Também são de evitar. Poderão causar diarreia e indisposição nos gatos. E nada de pepperonis, nem salchichas, nem enchidos, nem chili ao seu gato.
Alerta-se também para o facto de não dever nunca dar comida para cão ao seu gato. A comida para cães é nutricionalmente deficiente para os gatos. Os gatos adultos necessitam de quase mais 5 vezes proteínas que os cães adultos. Contudo, ao contrário dos cães, os gatos não armazenam proteína excessiva e precisam de a repor quase diariamente. Além disto, a comida para cães é deficiente num aminoácido muito importante para os gatos, chamado “taurina”. Uma dieta deficiente me taurina pode levar á cegueira, problemas de reprodução, cardiomiopatia a mesmo morte resultante de um ataque cardíaco. Os gatos também necessitam de tomar diariamente vitamina B em maior quantidade do que os cães.
Para o bem estar do seu gato, para a manutenção da sua saúde e maior qualidade de vida do seu animal, procure, sempre que possível, dar-lhe uma alimentação adequada e equilibrada.