Pages

.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

POR QUE OS GATOS SE LAMBEM

Quando se trata de higiene pessoal, os gatos são a personificação da limpeza. Eles são naturalmente equipados com os acessórios para se limparem: uma língua áspera para lamber, patas dianteiras que eles umedecem com saliva e usam como substituto da toalha e dentes para cavar detritos MAIS teimosos. Acredite ou não, os gatos adultos podem gastar metade de suas horas acordadas limpando eles mesmo, seus parentes e amigos.

O início da limpeza
As mães começam a lamber seus gatinhos logo após o nascimento, para limpá-los, estimulá-los a liberar urina e fezes, despertá-los para mamar e proporcionar conforto. Gatinhos geralmente começam a se limpar quando têm CERCA de 4 semanas. Com 5 semanas, eles também começam a limpar seus irmãozinhos e sua mãe. Limpeza mútua entre irmãos, chamado de todos se limpando, muitas vezes continua até a idade adulta. Todos se limpando é uma atividade social que serve para fortalecer os laços entre os gatos.

Padrões de lambidas
gato se lambendoSe alguma vez você já viu um gato limpado seu rosto, você já deve ter percebido a forma estereotipada em que ele faz isto: primeiro saliva é aplicada no interior de uma pata e, depois, com movimentos CIRCULARES ascendentes, o gato começa esfregar seu nariz com a pata de trás para a frente. O gato então reaplica saliva naquela pata e, por meio de movimentos semi-circulares, limpa atrás da orelha correspondente, a parte de trás do ouvido, a testa e o olho. Quando termina com um dos lados, o processo é repetido com a outra pata do outro lado da cabeça. Depois que a cabeça está limpa, o gato limpa as pernas dianteiras, ombros, flancos, região anogenital, patas traseiras e a cauda com movimentos longos de língua. A ordem das partes do corpo pode variar, e nem todas as áreas são necessariamente limpas em uma única sessão.

Limpeza problemática
Não é surpresa para ninguém que lambidas tem benefícios higiênicos. Elas ajudam a eliminar os parasitas, mantém a pelagem do gato limpa e fresca, o refresca através da evaporação da saliva e estimula glândulas anexas a raiz do pelo que secretam substâncias para mantê-lo à prova d’água. No entanto, as lambidas também pode ter benefícios psicológicos. Um gato pode se lamber para reduzir temporariamente os conflitos, frustrações ou ansiedade. Sob estas condições, lamber torna-se aquilo que é chamado de “deslocamento comportamental”. Deslocamento comportamental pode ocorrer quando um ANIMAL está motivado a realizar dois ou mais comportamentos conflitantes ao mesmo tempo. Incapaz de fazer isso, um terceiro comportamento que está fora do contexto da situação surge. Por exemplo, um gato que se sente ameaçado pode estar em conflito entre correr do seu agressor e brigar. Surpreendentemente, o gato decide se limpar! A limpeza aparece para acalmar e tranquilizar o gato.
Limpeza em excesso, sob a forma de lambidas excessivas, mordidas, mastigação ou sucção no pelo ou na pele, sem nenhuma causa médica subjacente, geralmente é indicativo de estresse. As causas comuns do estresse felino são: medo, falta de estímulo, isolamento, novo ANIMAL em casa, mudar para uma nova casa, ansiedade de separação ou, em alguns casos, desmame precoce. A limpeza em excesso se torna problemática quando resulta em lesões auto infligidas (pelo mais fino, retirada completa de tufos de pelo, infecções de pele), uma condição chamada “alopecia psicogênica”. Este diagnóstico é feito quando uma condição médica subjacente não podem ser detectada. Em alguns casos, a limpeza excessiva pode começar como resposta a uma irritação na pele (pulgas, alergias, infecções), mas pode evoluir para um problema de comportamento, embora a condição esteja curada. Acredita-se que a limpeza comportamental tornar-se auto reforçada reduzindo a ansiedade. As ações de limpeza tornam-se repetitivas, chamadas de “estereotipias”, que podem ir e vir, dependendo do nível atual de stress do gato.

O que significa se o meu gato ME lamber?
Os gatos são animais sociais. Eles lambem seus PARENTES como demonstração de afeto e confiança, a forma com que eles lamberiam seus irmãos ou mãe. Eles também podem lamber para experimentar qualquer substância que esteja na sua pele, tais como o sal.

Você deve limpar seu gato?
Se o seu gato gosta de ser escovado ou penteado, então, eu o encorajo a fazê-lo. Limpar o seu gato pode servir para reforçar o vínculo entre você e seu ANIMAL de estimação. A limpeza também pode ajudá-lo a ver eventuais problemas de pelo que podem estar se desenvolvendo. No entanto, muitos gatos não gostam de ser escovados ou limpos por nenhuma outra ferramenta exceto por eles mesmos, portanto, se você valoriza sua própria segurança, é melhor deixar que esses gatos façam o serviço! Se o seu gato está propenso a ter bolas de pelo, pelos sem brilhos ou perda de pelo em excesso, você precisa deixar a limpeza para um profissional. Alguns gatos precisam e até gostam de banho.
fonte: http://tudosobregatos.com.br/por-que-os-gatos-se-lambem/

domingo, 26 de outubro de 2014

Agressividade felina




Pessoas que convivem com gatos sabem o quanto pode ser assustador - e também perigoso – lidar com reações agressivas dos bichanos. Assim, é muito importante procurar entender os motivos dessas reações agressivas, conseguir prevê-las e saber como agir, caso ocorram. 




Antes de mais nada, é importante mencionar que a agressividade, por si só, não consiste em um comportamento anormal. Reações agressivas são perfeitamente normais em gatos, cães e outras espécies, dependendo do(s) estímulo(s) desencadeador(es). 

Gatos domésticos podem apresentar alguns tipos de agressividade (que pode ser direcionada a pessoas, outros gatos ou animais), sendo a seguir enumerados os mais comumente relatados pelos proprietários:


 - agressividade lúdica (ou por brincadeira)

Foto por Giane Portal / Fofuras Felinas
o instinto predatório é um dos mais marcantes dos felinos. 
Faz parte de seu repertório de comportamentos, como espécie, caçar, encontrar, espreitar e atacar a presa. 
Quando são criados em casa, gatos domésticos, especialmente os mais ativos, podem não ter como adotar esse comportamento natural e acabam atacando pessoas que estão andando pela casa, especialmente nos pés e calcanhares. 
Na verdade, eles estão buscando dar vazão à necessidade de caçar. 
Para evitar sustos e machucados, deve-se evitar brincar com o gato usando mãos e pés, desde o momento em que o animal chega à casa, ainda filhote. 
Também é importante proporcionar atividades que permitam a ele caçar outros objetos, como brinquedos que se movimentam, bolinhas e laser na parede. 



- agressividade por medo

um gato acuado, sentindo-se inseguro diante de determinada situação, e sem rota de fuga disponível, poderá atacar. Essa reação provocada pelo medo de uma pessoa ou outro gato (ou até um cão) pode gerar ferimentos sérios. 
Assim, para evitar esse tipo de situação, não se deve tentar pegar um gato que esteja demonstrando medo e, caso o bichano seja inseguro por natureza, é importante sempre garantir a ele locais seguros, onde ele possa se esconder, além de rotas de fuga alternativas, especialmente se há outros animais que podem persegui-lo na casa. 
Para evitar reações agressivas por medo, é importante também entender, através da linguagem corporal, se ele está com medo e, talvez, prestes a atacar, conforme quadro abaixo:




Nessas situações, é importante não punir o gato, pois, diante de uma nova situação similar e futura, a probabilidade de agressão é grande. O mais indicado é verificar os motivos que levaram ao medo e à reatividade, para evitar que ocorram novamente. 




- agressividade territorial: 

muito comum entre gatos, que são animais territorialistas por natureza. 
Bastante relatada em caso de introdução de um novo gato ao ambiente, sem que tenha sido feito um trabalho cuidadoso de introdução, associada a experiências positivas. 
Se já identificada, é necessário que seja feito um trabalho de reaproximação cuidadoso, como o que já foi postado no blog,neste post
Para evitar sua ocorrência, é importante seguir essas mesmas dicas, para que a convivência futura entre os dois gatos seja mais harmônica. 




Qualquer que seja o motivo dos comportamentos agressivos, é importante buscar auxílio de um especialista em comportamento felino, para que a identificação das questões e a forma com que elas devem ser tratadas sejam feitas da maneira correta, visando o bem-estar de todos. 

''Texto de Cassia Rabelo Cardoso dos Santos, adestradora da equipe Cão Cidadão.''

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Como cuidar de um gato envenenado

Os gatos são animais bem curiosos. Nós que amamos os felinos sabemos muito bem disso. Não é difícil encontra-los presos dentro do guarda-roupa, de um armário ou cesto. e essa característica faz deles bichinhos muito mais engraçados. Mas essa mania também pode ser perigosa. Por vezes nosso gatinho pode fuçar em frascos, latas ou garrafas e acabar se envenenando acidentalmente. Até mesmo ingerindo veneno que era direcionado aos ratos ou armadilhas que pessoas sem coração deixam para matar os gatos. Para não sermos pegos de surpresa em momentos difíceis assim, separamos algumas maneiras para que você amenize o sofrimento do seu amado gato até que consiga atendimento veterinário. Às vezes pode acontecer durante a madrugada ou em horários que as clínicas veterinárias estão fechadas. Portanto cada dica abaixo é apenas para serem usadas quando os sintomas aparecerem e enquanto não há acessoao médico.

Cuidados para evitar o envenenamento
  • Gatos que estão machucados não devem receber remédios contra pulgas, carrapatos ou sarna. A absorção da pele pode ser fatal. Também cuidado durante o banho para que o gato não inale, lamba ou tenha contato com os olhos.
  • Retire seu animal de casa se for fazer dedetização ou inseticidas.
  • Mantenha latas, garrafas ou frascos de materiais químicos muito bem fechados e vedados, guardados em locais de difícil acesso. Lembre-se que lugares de difícil acesso para os gatos são lugares realmente bem fechados.
  • Essas são as substâncias que normalmente envenenam ou intoxicam os animais em caso de ingestão ou contato com a pele lesada:  inseticidas domésticos, carrapaticidas, produtos contra sarna, antipulgas, veneno contra ratos, formigas ou pragas, inseticidas para plantas, plantas tóxicas e produtos de limpeza.    
  • EM CASO DE ENVENENAMENTO:   
  1. A indução ao vômito é muito eficaz para ajudar a eliminar o veneno no caso de inseticidas, raticidas ou plantas tóxicas. Para isso administre ao felino por via oral de 5 a 10 ml de água oxigenada (3%) ou água morna (cuidado para não estar quente) com sal em intervalos de 5 ou 10 minutos. Porém esse método é completamente proibido em caso de substâncias extremamente irritantes ou cáusticas, como por exemplo produtos de limpeza, como alvejantes e sabão em pó. Em caos assim recorre-se à lavagem gástrica, que só é feita em clínicas veterinárias.
  2. Outra medida também eficaz seria misturar carvão ativado à água e dar ao animal por meio de seringas por via oral. O carvão se liga ao veneno e impede que ele seja absorvido. Mas isso se o veneno foi ingerido há poucos minutos. Mas o carvão só consegue agir nas primeiras 8 horas de envenenamento, por isso a importância de levar seu gato ao médico.
  3. Se o envenenamento foi feito pela pele, você provavelmente sentirá o odor em seus pelos, então lave-o por inteiro, evite que a água entre em contato com os olhos. Use sabão neutro e repita até que o cheiro tenha saído.
      O mais  importante é que seu gato esteja em mãos de um veterinário o mais rápido possível. Ele saberá como proceder nesses casos, cuidará e salvará seu pequeno felino.


fonte:http://www.enciclopets.com.br/como-cuidar-de-um-gato-envenenado/

quarta-feira, 25 de junho de 2014

O dono do gato: criativo, detalhista e organizado

De acordo com a Universidade do Texas existe mesmo uma diferença entre os donos de cães e os de gatos. O pesquisador Gosling e sua equipe montaram um estudo sobre o comportamento dos donos desses animais e os resultados acabaram gerando certo conflito. Isso porque em sua pesquisa os donos de gatos são pessoas mais ansiosas, neuróticas, hostis e depressivas. Os donos de cães, por sua vez, acabaram sendo consideradas confiantes, extrovertidas, altruístas, modestas e sensíveis.
De fato não tem como não sentir uma pontinha de mágoa em uma primeira impressão, mas será que essa pesquisa realmente mostra nossa realidade aqui no Brasil? E será que esses pontos são tão negativos assim?
Como veterinária há oito anos não posso dizer que isso tudo seja verdade. Com relação aos “cachorreiros” extrovertidos eu até preciso concordar, mas será que os “gateiros” são tão depressivos? Não é o que eu tenho visto por aí.
Para tentar justificar a pesquisa vamos tentar ver esses adjetivos de uma maneira positiva. Quem é ansioso e neurótico, consequentemente é organizado e nisso eu concordo, talvez por me designar assim mesmo.
Para mim, sem pesquisa, nem questionário, o dono do gato é aquele cara ou aquela mulher extremamente detalhista e observador. Cada pequena mudança no hábito ou comportamento do gato não passa despercebido. O dono do gato é organizado e pontual. Não me lembro de um dono de gato ter se atrasado para uma consulta.
O dono do gato é criativo, sabe montar super-caixas de papelão, sabe inventar brinquedos mirabolantes com uma folha de papel e um barbante.
O dono do gato é quase sempre mulher, isso não dá pra negar, mas porque será? Gatos já foram símbolo de feminilidade e fertilidade no Egito antigo. Será que a graciosidade dos gatos faz nós, mulheres, nos identificarmos com os bichanos?
dono de gato
O dono do gato tem quase sempre mais de um gato, mas isso tem motivo, e vocês provavelmente sabem qual é. Quem cuida de um, cuida de dois. É muito fácil criar um gato. São auto-limpantes, são higiênicos, práticos, pequenos, etc, etc, etc.
O dono do gato é aquele que pode ter 20 gatos em casa, mas sabe exatamente o que cada um gosta de fazer, onde cada um gosta de dormir, o comportamento específico de cada um de seus filhotes. O dono de muitos gatos raramente escapa de umas boas arranhadas nos braços, mas não costuma se importar com isso.
O dono do gato preto não usa roupas brancas, já o dono do gato branco não usa roupas pretas e se assim o faz tem sempre um rolinho de tirar pelos na porta do carro.
''O dono do gato é, pra mim, aquela pessoa que eu posso passar horas conversando e parece que se passaram minutos.''
Se você se ofendeu com a pesquisa lembre-se que você é dono de gato e dono de gato não está nem aí para o que os donos de cães estão pensando.

fonte:http://petiko.com.br/article/o-dono-gato 
Autor: Laila Massad Ribas




terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

GATOS NÃO SÃO INTERESSEIROS


Gatos são interesseiros? 
NÃO!
O que ocorre é que a relação gato x homem é totalmente diferente da relação cão x homem.
Um cão que viva numa casa com uma família tenderá a dar seu amor incondicional para aquela pessoa que o alimenta.
O simples fato de alimentar um gato jamais será a razão pela qual ele será seu amigo!
Talvez daí venha aquela expressão: “gatos se gabam, cães se babam”!  E tem ainda uma outra, que um gatil conhecido usa como lema: “Gatos não são interesseiros, gatos são interessantes!”
Para conquistar a amizade de um gato é necessário muito mais do que simplesmente alimentá-lo. É necessário olhar nos olhos deles, sentir como ele está!
É necessário permitir que ele olhe nos seus olhos, ou seja, tenha tempo, dedique-se a esta relação que jamais ocorrerá por acaso!
A relação afetiva com um gato é algo extremamente profundo e as pessoas que vivenciam esta relação podem falar apropriadamente sobre o assunto e sobre a importância que os gatos adquirem na sua vida, especialmente aquelas que não tinham gatos antes.
Este artigo definitivamente NÃO é uma apologia contra os cães!
Mas é sim, uma constatação de patamares diferentes e isso é inegável, quem tem ambos pode abalizar melhor inclusive minhas palavras.
Ahhh.... não... acabo de mudar de idéia:
GATOS SÃO SIM MUITO INTERESSEIROS!!!
Eles tem profundo interesse no seu amor, no seu olhar, no seu tom de voz!


Gatos têm profundo interesse em como você está! Tanto isso é verdade que eles tem uma especial capacidade de perceber quando não estamos bem e nestes momentos não “desgrudam” da gente, de forma a minimizar o máximo possível nosso sofrimento.
Gatos são sim interesseiros ao extremo, principalmente no que vai na sua alma. A incrível capacidade que um gato tem de perscrutar seu olhar e ler sua alma e ver o que ninguém vê.
Sim, um gato tem este interesse!
Se for para afirmar que um gato é interesseiro, então vou afirmar, vou apregoar, vou gritar com todas as minhas forças:
O interesse do gato é você, é seu amor, é sua mão terna sobre ele!
Enfim, quem não quer ter um amigo interesseiro assim?

fonte:http://www.gatilksicats.com.br/interesseiros.htm

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Cuidados com os gatos

Ração: As melhores do mercado são as da Royal Canin e Purina Pro Plan. São caras mas garantem uma saúde perfeita, pêlos macios e também uma velhice sem problemas urinários, que são o maior medo de todo dono de gato. Gatos tem tendência a ter problemas renais e urinários, mas essas rações previnem muito bem o problema pois controlam o ph urinário. A ração pode ser deixada à disposição do gato o dia todo, numa quantidade que não falte durante o dia (caso você não possa estar em casa para ficar completando a tigelinha). Mas não coloque demais, pq os gatos costumam não querer uma ração que fique exposta muito tempo, pois ela perde o cheirinho. Por isso, feche bem o pacote de ração ao guardá-lo. Existem vários tipos de ração: para gatos gordos, para gatos velhos, para filhotinhos, para gatas gestantes ou amamentando, etc..

Unhas: Existem tesourinhas próprias para cortar a unha do gato. Ao cortar preste bem atenção para a parte rósea da unha, pois são as veias, e não devem ser machucadas; corte sempre mais à frente para evitar sangramento. Gatos de apartamento não devem ficar com unhas muito grandes pq isso os faz querer afiá-las o tempo todo, além de haver mais possibilidades de ferir o dono, e a ele mesmo, ser querer. Unhas grandes ficam enroscando nos brinquedos e atrapalham a vida do seu gato. Se você não conseguir cortar a unha dele, leve-o a uma BOA Pet Shop ou peça ao veterinário para que o faça.

Arranhador: É indispensável numa casa ou apto com gatos. Se você não der a ele o arranhador, ele vai usar o seu sofá, sua caixa de som, sua estante de madeira... Ele precisa do arranhador para afiar as unhas e também para marcar seu território. Gatos gostam muito dos arranjadores tipo poste, recobertos por carpete (não gostam muito dos de corda). Coloque-o à vista do gato, num local por onde ele sempre passe.

Brincar Mordendo e Arranhando: É assim que o gato brinca com você, não adianta tentar fazê-lo mudar de idéia. Mas ele morde de leve e na maioria das vezes usa pouco as unhas. Mesmo assim pode doer um pouco, mas não pense que ele está te machucando de propósito. Ele nunca pretende agredir o dono. Uma coisa boa para distrair o gato e evitar que ele queira ficar mastigando o dono é brincar com ele de jogar bolinhas. Ele sempre vai preferir correr atrás das bolinhas.

Brinquedos: Gatos adoram bolinhas feitas de meia fina de mulher, feitas de papel e também de plásticos de sacola de supermercado. Se você comprar pra ele bolinhas bonitinhas numa Pet Shop, é quase certo que ele não irá se interessar. Ele gosta de bolinhas "feitas em casa". Uma coisa que eles adoram e que você compra em Pet Shop são os ratinhos de pêlo de coelho e os ratinhos com Catnip (uma erva que os gatos amam desesperadamente). São a alegria absoluta dos gatos. Mas ofereça um brinquedo de cada vez; quando há muitos por perto, o gato se desinteressa por todos. E uma boa coisa é você ter uma cestinha no chão para guardar os brinquedos: o gato sempre irá até ela pra pegar o brinquedo que quiser.

Camas: Gatos gostam de lugares macios e limpos. Normalmente eles aceitam cestinhas de espuma próprias para gatos (preferem as que tem um teto, tipo cabaninha), mas pode ser que ele recuse. Gatos são imprevisíveis. Então se você não quiser comprar cestinhas uma boa opção pode ser casinhas de caixa de papelão, com janelas pra ele entrar, forradas com cobertorzinho. Também gostam de cestas de vime ou palha, sempre com panos macios para forrar (adoram o moletom tipo Soft). Uma coisa comum no gato é que ele se enjoa facilmente dos lugares, e os abandona por um tempo, trocando por outros. Uma solução é trocar a casinha de lugar, o que chamará a atenção dele de novo. Por um tempo.

Dormir na sua Cama: O gato, por adorar lugares limpos e macios, sempre terá como alvo a sua cama. A decisão é sua de permitir ou não que ele durma lá. Caso não queira o gato na cama, seja enérgico e o tire de lá dizendo NÃO. Como todo gato é teimoso, ele vai voltar, então não desista e se preciso bata o travesseiro na cama, perto do gato, para fazer barulho e assustá-lo, sempre dizendo pra ele não subir na cama. Gatos são muito inteligentes e precisam entender o que você não quer que ele faça.

Educação: Sendo um animal de personalidade muito forte, é extremamente difícil educar o gato. Mas respeitando-o e sendo enérgico tem-se bons resultados. Fale de um modo convincente e um pouco ríspido e ele saberá que você não está permitindo algo. Diga não. Bata com a mão ou com um pano perto dele se ele teimar muito, para assustá-lo. Só não bata no gato. Nunca bata no gato. Se isso acontecer ele ficará terrível, muito mais teimoso, revoltado e irá se vingar destruindo coisas da casa ou correndo feito louco sem parar. Isso além do fato de que você irá levar um tempão para reconquistá-lo, pq ele passa a evitar o dono e fica deprimido. Definitivamente não bata no gato.

Gatos Não São Cães!: Uma coisa muito importante e que todos deviam saber é justamente a coisa mais óbvia: gato não é cachorro. Tem muita gente que não entende e não aceita isso! Então, quando o gato abanar o rabo, não quer dizer que ele está feliz. Muito pelo contrário: ele está muito nervoso (rabo abanando rápido: deixe o gato em paz) ou aborrecido e até mesmo atento a algo (abanando mais devagar). Respeite seu gato e entenda sua linguagem. Outra coisa que o difere dos cães é que eles não rolam no chão ou se urinam todo quando você chega em casa: o gato é muito discreto e elegante para isso. Ele mostrará sua felicidade miando, ronronando, se esfregando, te olhando nos olhos e com o rabinho bem de pé. Feliz.

Mito Ridículo - O Gato Só Gosta da Casa: Nada mais mentiroso. Só diz isso quem nunca teve um gato. Ele só não gosta de sair, não gosta de mudanças, não gosta de visitas. Gatos gostam da segurança e do silêncio do lar. E gostam só do dono. Existem gatos que morrem com a falta do dono, seja por falecimento deste ou por doação a estranhos depois da idade adulta do gato. Mais uma vez: gato não é cachorro. Só é preciso entender a linguagem felina.

Banhos: Gatos normalmente não precisam de banho. Existem veterinários que nem mesmo recomendam o banho. O gato é muito limpo e higiênico por natureza e se você quiser dar banhos nele será então preciso acostumá-lo desde filhotinho e dar banhos freqüentemente, para ele não "se esquecer" de como é um banho e dar escândalos ao receber um. Dois meses sem banho já deixam o gato assustado num novo banho. E muito banho faz cair os pêlos. E importante: nunca deixar entrar água nas orelhas nem lavar o rostinho.

Escovação: Gatos adoram ser escovados. E é muito bom para eles, pois escovar retira o excesso de pêlos que eles normalmente lambem e engolem, formando uma bola de pêlos no aparelho digestivo. Por isso é recomendável colocar uma colher cheia de óleo de cozinha (de soja, ou milho, ou girassol, etc.) na ração do seu gato uma vez ao mês.

Secreção nos Olhos: É normal no gato filhote ter as chamadas "remelinhas" nos olhos quando ainda pequenos. Eles ainda não tem muita resistência imunológica então a secreção é um reflexo disso. Quando adulto, isso pára de acontecer. A não ser que haja algum problema, alguma alergia ou irritação nos olhos do gato adulto, então é preciso chamar o veterinário.

Veterinários: Observe se ele gosta do animal. Observe mesmo. Não deixe seu gato com quem não se interessa pela saúde dele, apenas se interessa pelo seu dinheiro. Isso não é bom e você não precisa contratar um veterinário assim. E opte, se possível, pelos veterinários que atendem em casa, pois é bem menos traumático para o gato. E se tiver que levar o seu gato em alguma clínica veterinária, compre antes uma caixa de transporte, que facilita muito e evita que ele arranhe o dono ao tentar fugir e, pior, fuja. É praticamente impossível pegar um gato assustado em fuga.

Caixa de Areia: A caixa com areia feita de argila em flocos é a invenção mais maravilhosa para donos de gatos. O gato também agradece, pois ela atende tão bem ao instinto do gato de fazer as necessidades na areia que desde filhotinho ele vai sozinho até a caixa, sem precisar ensinar. A caixa deve ser cheia até ficar com uns 5 cm de altura de areia, no mínimo. Deve-se tirar as sujeirinhas com a pá, colocar num saco e dar um nó antes de colocar no seu cesto de lixo, para evitar vazamentos. Após a retirada das sujeirinhas preencha com mais areia limpa. E a cada 2 ou 3 semanas troque totalmente a areia da caixa. Não coloque as comidinhas do gato muito próximas à caixa de areia (o gato detesta e é anti-higiênico). As melhores caixas de areia são as grandes, com encaixe extra de borda, que impede que o gato espalhe areia ao enterrar as fezes.

Ronronar: O gato ronrona para mostrar que está feliz, confortável, animado. Em casos mais raros o gato ronrona por causa de dor ou para pedir socorro. Exemplos: gatas dando à luz ronronam. Gatos atropelados ou muito subnutridos ronronam para pedir socorro.

Janelas: É um perigo para gatos de apartamento. Eles adoram ficar na janela vendo o movimento da rua e, caso passe voando uma borboleta ou um passarinho, ele terá o reflexo de pular para pegá-lo. Isso dá aos gatos a fama de "suicidas", o que é totalmente errado dizer (coisa de quem não conhece gatos), pois não é nada mais que o instinto de caça do gato. Uma queda até o 3° andar trará fraturas para o gato. Mais acima é fatal. Por isso, é extremamente necessário que as pessoas telem todas as janelas de seu apartamento. O procedimento é rápido e não é caro! Veja o que pode acontecer com janelas não teladas: Clique Aqui

Água: Gatos adoram tomar água. Mas tem que estar sempre limpa, muito limpa. Outro mito totalmente errado é o de que o gato não toma água. Ele toma e muito, mas seleciona a água que vai tomar (não toma "água de sarjeta", como os cães).

Ciúmes: O gato é muito ciumento. Se houver mais de um gato na casa eles vão ficar observando se um recebe mais carinho do dono que o outro. Por isso deve haver uma boa divisão de atenção, para não acarretar traumas. O gato é muito sensível e fica deprimido.

Mágoa: O gato é um bichinho facilmente magoável. Se leva muita bronca, se fica muito tempo sem ver o dono, se não pode ficar muito tempo no seu colo: tudo isso, e muito mais, magoa o gato e ele fica tristinho. Ele é muito apegado ao dono e se sente rejeitado. Para donos de gatos que moram em casas: se ele trouxer pra você uma caça (um passarinho, um rato, uma borboleta), receba com alegria e "agüente" um pouco. O gato está tentando ser grato ao lhe oferecer este presente, e a sua recusa causará traumas psicológicos no gato.

Seu Gato e Você: O seu gato refletirá e absorverá todos as suas emoções. É um receptor da energia do dono. Ficará nervoso e inquieto se você estiver. Ficará calmo se você estiver. E naturalmente o gato lhe trará tranqüilidade, pois é um animal muito brincalhão, companheiro e pacífico.

Coleiras: Deve-se prestar muita atenção nas coleiras, para evitar que o gato fique enforcado em algum lugar pendurado pela coleira, já que é um animal ágil e que gosta de subir em lugares altos. A mais apropriada é a coleira com elástico. Gatos de apartamento não precisam de coleiras, que no caso dos gatos de casa levam uma plaquinha com dados e endereço.

Mamar: Gatos que ficaram muito cedo sem a mãe muitas vezes tem o hábito de "fingir" que mamam em lugares macios: outro gato, a blusa ou o cobertor do dono, etc..

Medo ou Susto: O gato com medo assopra, rosna, se arrepia e fica arqueado (para parecer maior). Não pegue um gato muito assustado, pois ele pode ficar confuso e dar mordidas fortes e arranhões. Se o susto é muito grande, muitas vezes ele solta um cheiro horrível, causado por uma glândula perto do ânus, que indica que ele se sente em perigo. Mas o gato pode ficar com o rabo arrepiado também ao brincar com outro gato, sem maiores problemas.

Viagem: Não é bom levar o gato em viagens curtas (finais de semana, por exemplo), pois não vale o stress causado ao animal. Mas se você criar o hábito de viajar com o gato ele logo se acostumará. Se o fizer, leve-o em caixas de transporte, não dê água nem comida antes de 3 horas da viagem (evita vômitos), leve-o à caixa de areia antes. Leve com você o poste arranhador, que dará mais tranqüilidade ao gato no novo local. O gato fica bem em casa sozinho por até 4 dias, se você viaja e o deixa. É só verificar se o gás está bem fechado, desligar plugs das tomadas, barrar bem as portas com cadeiras (ele pode fechar alguma sem querer e ficar preso num quarto), fechar janelas (sem fechar o vidro pois o gato pode ficar sufocado com o ar parado da casa), retirar objetos perigosos e deixar muitas tigelas grandes com água e uma grande com comida para todo o período. Ele não comerá tudo de uma vez. E deixe uma caixa de areia extra.

Velhice: Nunca se esqueça, ao adotar um gato, que ele pode chegar até aos 18 anos de vida. E como todo velhinho, poderá ficar mais dependente e dar trabalho. Ame muito seu gato e nunca o abandone, pois estará condenando à morte o seu amigo, parte da sua família (o gato tem certeza de que é seu parente, seu filho). Seja consciente.

Graminhas: O gato adora comer mato, que ajuda muito na digestão. Você pode encontrar graminhas para gatos em Pet Shops, em vasinhos já preparados pra deixar crescer em casa, oferecendo ao gato de vez em quando.

Os Aliados dos Donos de Gatos: Você logo irá perceber que não pode viver sem seu aspirador de pó, que retira todo o pêlo solto da casa (o que deixa o gato feliz: ele adora lugares bem limpinhos tanto quanto nós gostamos). Outro aliado indispensável é o rolo adesivo para tirar pêlos das roupas, que garante que você saia de casa com roupa preta impecável. Não deve faltar rolos na sua casa, e são ótimos na hora de passar as roupas. Comprados em Pet Shops.

O Feio Hábito de Pedir a sua Comida: Não acostume o gato a receber pedacinhos de comida do seu prato enquanto você come, ou da cozinha enquanto você está cozinhando. Isso é um péssimo hábito e que é muito difícil de combater depois que se estabelece. Se o gato sentir o cheiro da comida, e insistir em pedir, diga não, não dê. Gatos devem comer ração. Observação particular: meus gatos não comem a nossa comida, mas eu sempre deixo eles cheirarem tudo, pois são curiosos e eu criei o hábito de deixar que vejam tudo. Chegam ao extremo de entrar nos armários, na geladeira, subir na pia e na mesa de jantar (com o jantar). Então, fica a seu critério. Sou suspeita para falar...

Pulgas e Vermes: É sempre preciso controlar pulgas e vermes, pois um está ligado ao outro. A pulga transmite vermes ao gato, então nunca deixe que ele tenha pulgas. Um anti-pulgas muito bom e definitivo é o Front Line. E o gato deve ser vermifugado a cada 6 meses ou uma vez ao ano, da seguinte forma: - um comprimido e depois outro comprimido depois de 21 dias. Não se esqueça de a cada ano alternar a marca de comprimidos, para não "acostumar" os vermes. O Drontal e o Endal são ótimos.

Dando Remédios: Remédios em gotas podem ser misturados aos patês tipo Whiskas. Para dar o comprimido é preciso segurar o gato firmemente, abrir a boca dele e rapidamente enfiar o comprimido bem fundo, e em seguida segurar a boca do gato com as duas mãos para que ele não abra e não cuspa, sendo obrigado a engolir.

Vacinas: No 3° ou 4° mês de vida o gato deve ser tomar as primeiras doses das vacinas Anti-rábica e Tríplice, que se repetirá por mais 2 meses (3 doses). Depois disso ele tomará apenas uma dose de cada vacina por ano, para reforço.