Pages

.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Gato Azul da Rússia


foto de divulgação



Passado Genético
Uma vez que não nasceu do cruzamento de duas raças diferentes, o Azul da Rússia é uma raça genuína que foi sendo apurada ao longo dos anos e que assim se tem mantido devido aos cuidados tido pelos criadores na escolha de progenitores sempre genuínos.
Obviamente que o mesmo não se aplica à reprodução doméstica. Nestes casos, é possível que, pela“deficiente” herança genética, se percam algumas das características, como por exemplo, a densidade da côr, o que, de modo nenhum, os tornará menos capazes de amar.


Aparência, Personalidade e Temperamento
O Azul da Rússia, sendo de porte médio, é bem constituído, possui pêlo curto e linhas graciosas e esguias.
O que os distingue de todos as outras raças é, sem dúvida, a pelagem em dupla camada, muito densa, macia e sedosa, unicamente Azul e com cada uma das pontas dos pêlos prateada, o que lhe confere um aspecto muito brilhante e lustroso. A sua densidade torna-a volumosa mas, ao contrário do que seria de pensar, o Azul da Rússia perde pouco pêlo.
Os olhos são grandes, bem afastados e redondos e passam de amarelos a verdes claros e límpidos logo a partir dos 4 meses.
São gatos muito inteligentes, tranquilos, sensíveis, asseados e brincalhões.Adoram correr, pular e trepar mas apesar de muito ágeis e activos, raramente fazem estragos em casa. São capazes de aprender a abrir portas e “ensinam” os donos a atirar-lhes brinquedos e a participar nas suas brincadeiras.
Por serem tímidos e reservados, os donos terão de construir a sua relação com eles. A última palavra será deles mas, uma vez conquistados, são excelentes companheiros e muito dedicados, dando-se naturalmente bem com crianças e outros animais. Seguem os donos por toda a parte, só pelo simples prazer de estar perto deles. Tornam-se, contudo, desconfiados e assustadiços, se na presença de estranhos, e a sua sensibilidade pode levá-los a ressentirem-se e a tornarem-se medrosos e até temperamentais, se forem negligenciados ou colocados perante situações de tensão.
Uma vez apaixonados pelos donos, têm diversas formas de o demonstrar como sejam as turrinhas e o saltar para o ombro do dono e deixar-se carregar por ele. A lealdade é tão grande que ficam verdadeiramente magoados se lhes for negada a possibilidade de transmitir afecto e ternura. Talvez por isso, a relação entre esta Raça e o Ser Humano acaba por tornar-se normalmente muito próxima e profunda.
foto de divulgação



Saúde, Alimentação e Cuidados Básicos
São suficientemente independentes e capazes de se entreter, se forem deixados sós durante o dia mas, à chegada dos donos, não dispensam atenção e carinho redobrados e, talvez por essa razão, adoram uma boa escovadela, quem sabe, se não será por lhes permitir partilhar bons momentos com os donos.
Sendo animais de pêlo curto, a sua manutenção não exige cuidados de limpeza e tratamento nada extraodinários. O pêlo pode ser mantido com óptimo aspecto apenas com muitas festas e escovagens regulares. Os cuidados a ter com as unhas, olhos e ouvidos é igual aos de outra raça qualquer.
São “bons garfos” e facilmente ganham peso a mais. De forma a evitar a obesidade, é importante não exceder as doses recomendadas para a sua raça, idade e condição física.
São animais fortes e robustos, naturalmente saudáveis e sem problemas genéticos associados à raça, sendo que, com bons cuidados veterinários, uma boa alimentação, muito exercício físico e muito carinho, facilmente atingirão idades acima da média.

0 comentários:

Postar um comentário