Pages

.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Solução Para Diarreia em Gatos

Como sei se o meu animal de estimação sofre de Diarreia?

A diarreia num cão ou gato é caracterizada pelo aumento da 
frequência e volume das fezes, assim como diminuição da 
consistência das mesmas. As fezes diarreicas contêm não 
só maior quantidade de água e electrólitos, mas também 
poderão conter muco, sangue, gordura ou comida não 
digerida.

A diarreia pode ser originária do intestino delgado ou 

intestino grosso (colite), podendo ser classificada em aguda 
ou crónica.

O que é a Diarreia Aguda do intestino delgado?

Este tipo de diarreia normalmente dura menos de 48 horas, 
normalmente contem muco, sendo comum encontrar sangue 
neste tipo de diarreia. O animal normalmente perde o apetite 
e aumenta a frequência de defecação, assim como a sua 
urgência para defecar. 

Como identificar a Diarreia Crónica do intestino delgado?

Este tipo de diarreia dura 7 a 10 dias ou mais, sendo por
vezes muitos escura, devido à presença de sangue digerido 
nas fezes, não apresentando muco no seu conteúdo.

O que causa este tipo de diarreia?

São inúmeras as causas, podendo variar entre bactérias, 
vírus, parasitas intestinais, stress, substâncias tóxicas, 
alergia alimentar, alterações bruscas na alimentação, 
disfunções em determinados orgãos como o fígado,
 pâncreas e rins, etc.
É importante notar que os animais mais jovens são mais 

vulneráveis que os adultos, podendo pôr em risco a própria 
vida.

Para tratar a diarreia do seu animal de estimação o seu 

Médico Veterinário terá que diagnosticar a causa subjacente, 
para diferenciar ente uma diarreia não específica e um 
problema de saúde mais sério.


Como tratar a Diarreia?

Para tratar o seu animal com diarreia tem de ser determinada a causa. O Médico Veterinário irá realizar um exame clínico ao seu cão ou gato e perguntar-lhe o historial médico, dieta e rotina diária, podendo ser necessária a realização de análises sanguíneas, radiografias ou outros exames de diagnóstico. 
Deverá ser necessário retirar a comida ao seu animal de estimação durante um ou dois dias, devendo ser mantido o fornecimento de soro caseiro 


cuidados a ter em casa
  • Após o jejum prescrito comece a alimentar o seu animal 
  • com pequenas refeições várias vezes por dia (3 a 6 
  • vezes por dia)

  •  Forneça uma dieta facilmente digestível contendo pouca quantidade de fibra e pouca gordura, é recomendado sopinha (papinha)  para bebe, com arroz.
  • Não dê ao seu cão ou gato ossos ou biscoitos pois 
  • podem irritar o trato gastrointestinal
Vigie o seu animal de estimação em casa e no caso de 
aparecerem novamente os sinais de diarreia, sangue ou 
muco nas fezes, contacte o Médico Veterinário.
Favorecendo um bom tratamento em casa é uma parte muito
 importante na resolução deste problema, sendo muito 
importante seguir sempre as instruções dadas pelo Médico 
Veterinário.

Gata Prenha

Como saber se a gata está prenha? 

É importante saber detectar os sinais de gravidez. Só ao fim de cinco semanas de gestação se começa a notar sinais exteriores: o abdómen apresenta-se mais inchado e os mamilos podem aumentar e tornar-se rosados. Ao fim de nove semanas, consegue-se, inclusive, chegar a observar os movimentos dos gatinhos dentro da barriga da mãe. Para além disso, é natural que a gata se torne mais ternurenta e, evidentemente, que adquira maior apetite. 

Alimentação?

As gatas prenhas ficam mais carentes de afecto e com mais fome. Aproveite para reforçar a alimentação neste período. A ração (que deve ser de excelente qualidade) pode ser substituída pela de bebes que contenha vitaminas e uma quantidade de elementos que farão a mãe e a cria ficarem saudáveis, auxiliando na produção do leite. Essa ração pode ser ministrada até 60 dias depois do nascimento das crias. É o tempo que a mãe vai amamentar e o gatinho começa a alimentar-se da ração. 

A escolha do ninho? 

É muito comum as gatas procurarem cantinhos para terem os seus gatinhos. Uns dois dias antes do parto, o local é escolhido e não adianta mudá-lo. O importante é que o local seja preservado para que a gata não tenha de sair no momento do parto. Uma solução é ter preparado um ambiente calmo e sem claridade, sem movimentação ou correntes de ar, como uma caixa (os gatos adoram caixas de papelão) e habituar a sua gata a ficar aí. 

Chegado o grande dia! 

O nascimento ocorre, normalmente, entre 73 e 76 dias após o acasalamento. Caso lhe seja ímpossIvel fazer contas, será melhor guiar-se pelo

comportamento que a sua gata apresente nesse dia: a par de um comportamento irrequieto e hesitante, ela dará provas de uma ternura quase excessiva e pouco usual. A súbita perda de apetite e um aumento de idas ao caixote das necessidades são outros sinais quase evidentes. No momento em que a sua gata escolhe o "ninho" e começa a ter os seus gatinhos, a única coisa que precisa fazer é assistir calmamente e ver se corre tudo bem. À partida, não será necessária a sua intervenção; de qualquer forma, convém ter sempre o contacto de um veterinário por perto. É apenas necessário ter alguns panos limpos para deixar que absorvam os líquidos e secreções do nascimento. 

Os primeiros tempos! 

Não são muito complicados nem muito trabalhosos, visto que, mais uma vez, a zelosa mãe se encarrega de quase tudo: alimentação, limpeza e até disciplina. Assim, mais uma vez, a sua preocupação deverá ser apenas com a mãe, visto que uma gata que amamenta necessita de uma maior quantidade de comida e de líquidos.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Gatos Persas

Os persas são gatos muito procurados por pessoas que 
vivem em espaços pequenos, como apartamentos, pois 
seus miados são baixos e pouco comuns, além do fato 
desses animais apresentarem um forte apego ao seu dono. 
Os gatos persas são meigos e carinhosos.
Esse animal se caracteriza pela pelagem comprida e 
sedosa, com uma cabeça grande e redonda, orelhas 
pequenas e arredondadas com tufos de pelo no interior, 
olhos grandes e redondos de coloração vívida e patas 
curtas, porém musculosas . O padrão comum da raça 
apresenta  focinho achatados porém alguns animais 
possuem focinhos um pouco mais alongados
Persa branco.
A manutenção de sua pelagem é 
um pouco trabalhosa, sobretudo 
devido a formação de nós 
ocorridos devido ao comprimento 
dos pelos.
O padrão de uma raça é 
determinado pelas associações 
que a representam. Assim sendo, 
existem pequenas variações de 
associação para associação.
Persa de pelo longo é, sem 
dúvida, a raça de gatos mais
famosa e a mais popular do mundo. É dotado de uma 
extraordinária variedade de cores e de marcações. Ele 
serviu, e serve ainda, no mundo todo, para a "produção" de 
outras raças - por exemplo, o Sagrado da Birmânia, uma
 variedade de Rex chamada Selkirk e o Pelo Curto 
Britânico, dentre outros - com a introdução de novas cores 
nestas raças e, em alguns casos, melhorias na 
conformação e formato do crânio.
Uma característica a salientar é que o Persa de Pelo Longo
 é extremamente sereno e afetuoso, dando-se muito bem 
com outras raças e até com cães. Ele também é muito 
tolerante com as crianças.

Audição dos Gatos.

A audição é um dos mais importantes sentidos do gato, depois da visão. Capazes de escutar sons no âmbito ultra-sônico, os gatos têm uma audição excelente, principalmente quando jovens. Seu ouvido possui formato irregular e assimétrico, com 30 músculos. As orelhas têm o poder de virar-se rapidamente e com precisão, em busca de sons. Em geral, os bichanos reconhecem palavras, como seu próprio nome. A partir dos cinco anos, o ouvido da maioria das raras perde sua percepção pronunciada.
Eles ouvem frequências de 65 KHz, comparados aos nossos 20 KHz. Mas, assim como nós, eles vão perdendo a audição conforme a idade avança.

E o que o "equilíbrio" tem a ver com a audição? TUDO!

Existe um "órgão de equilíbrio" chamado Aparelho Vestibular que fica dentro dos ouvidos do gato. Esse órgão detecta as variações de direção e velocidade (numa queda, por exemplo) e manda a informação que o animal precisa para mudar a orientação e compensá-la de forma que mantenha o equilíbrio, evitando talvez uma queda ou amenizando alguma lesão.